100409 entrevistas criadas 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Entrevista a:

Marcelo Melero [melero] 


JORNALISMO
Qual é sua especialidade? De que assuntos você trata?
jornalismo impresso e design gráfico para veículos de comunicação
Em que meios você trabalhou?
Rádio e veículos impressos
Um endereço web onde possamos ver algo sobre você?
http://marcelomelero.blogspot.com/ http://livroestranho.blogspot.com/ http://recantodasletras.uol.com.br/autor.php?id=4544 http://www.via6.com/marcelomelero
O que é noticia?
É a apresentação de fatos novos
O que é para você a objetividade?
apresentar fatos, seguindo uma ordem de importância, sem no entanto expressar opinião ou tendência ao eleger o que é mais importante
Qual é a melhor manchete que você leu?
não lembro ipsis literis, mas sem dúvida fora aquelas que anunciaram as "diretas já" e "Lula é presidente"
Qual é a manchete que você gostaria de ver algum dia nos jornais?
"O analfabetismo é erradicado no Brasil" ou "Juizes corruptos vão para cadeia"
Que jornal você compra aos domingos? Onde você o lê?
A Notícia (impresso) e Folha de São Paulo (online)
A liberdade de expressão acaba onde começa a linha editorial da mídia?
Exatamente, a linha editorial do jornal deve ser respeitada, assim como a liberdade de expressão. Sempre existirão outros veículos ou meios de comunicação para todas as expressões.
O jornalismo de analise e investigação está se perdendo?
Acredito que não, apenas está mudando quem exerce essas funções. O jornalismo de análise é papel para articulistas que devem estar nos artigos assinados e não em matérias jornalísticas. O papel do jornalista é apresentar fatos, pode até associá-los a outros fatos, mas não é seu papel investigar, isso deve ser feito por policiais e não jornalistas. Não devemos confundir a apuração de informações com investigação.
Com uma câmera em cada telefone, cada cidadão se transforma em um correspondente?
Não basta ter a câmara, mas a consciência de cidadania para participar socialmente com as informações que detém. Mas teoricamente sim, todos podem se tornar correspondentes.
Como você explica o auge do jornalismo dedicado ao show business?
Antes de tudo, um veículo de comunicação é uma empresa e, como tal, a prioridade é o lucro. No caso da televisão, o lucro está diretamente ligado à audiência. O jornalismo instiga responsabilidade, enquanto as pessoas buscam na televisão a fuga da realidade, ou seja, da responsabilidade.
Qual é sua posição sobre o direito dos famosos a sua intimidade?
Creio que os famosos devem respeitar seus fãs, que necessitam da intimidade dos famosos. Estes deveriam saber lidar melhor com a situação, liberando esporadicamente informações que satisfizessem os fãs. Quanto ao jornalista, deve respeitar o código de ética.
O que você pode nos ensinar sobre a arte da entrevista?
Antes de entrevistar algum, o jornalista deve saber mais sobre o assunto do que o próprio entrevistado. O papel do entrevistado é meramente confirmar as informações já sabidas pelo jornalista e ilustrar a matéria.
Pessoas famosas que você entrevistou
Governador do Paraná Roberto Requião, senador Alvaro Dias, prefeito de Curitiba Beto Richa, ex-ministro da Educação Cristóvam Buarque, primeiro Secretário de Estado de Ciências e Tecnologia do Brasil (nos governos Ernesto Geisel e José Sarney) José Walter Bautista Vidal, entre vários políticos; e o presidente mundial da Renault-Nissan Carlos Ghosn. Nenhum famoso na área cultural.
O jornalismo blog está revolucionando a profissão?
Talvez menos a profissão, e sim o próprio jornalismo. Os blogs preenchem aquilo que as linhas editoriais dos veículos de comunicação omitem. A internet além de democratizar a informação, rompeu as barreiras da censura, sejam elas política ou financeira.
O jornalismo de papel desaparecerá?
Pode ser que um dia desapareça, mas não creio que seja para breve. Pelo menos até o momento em que todos, sem excessão, possuam um computador próprio em casa ou no serviço, que possuam livre acesso à Internet e sejam considerados internautas ativos.
O que você pensa de imprensa gratuita que se distribui nas cidades?
Apesar da maioria ser amadora e de má qualidade (ainda que exista um jornalista profissional por trás), acho válida e não se pode ser substimada. Qualquer meio de expressão é sempre válido. Muitos veículos alternativos possuem grande poder de formação de opinião.
Qual é o livro que você gostaria de escrever?
Um livro que descrevesse o ser humano de forma que todos pudessem se reconhecer e se envergonhar, mas que possibilitasse a consciência de que podem ser melhores do que isso que enxergaram.
Algum lema ou principio ético esclarece suas decisões em momentos de confusão?
Sempre, para isso é que servem.
Que conselho você dá a alguém que acaba de sair da faculdade e quer se introduzir na profissão?
Conheça a si próprio (de preferência), domine completamente a língua portuguesa, leia tudo que cair nas mãos, seja crítico sem exprimir opinião, seja fiel aos princípios e à ética, respeite a linha editorial dos veículos de comunicação, jogue fora o radicalismo, ame a profissão ou largue-a, seja profissional (de preferência o melhor).
 

852 visitas

Whohub
[melero]
Marcelo Melero
Joinville-Brasil


[melero] Marcelo Melero
Faça-me uma pergunta, comentário ou peça-me opinião sobre algo:

 
 




© Marcelo Melero
Endereço web desta entrevista:http://www.whohub.com/melero

CONVIDA OS AMIGOS    Sobre Whohub  Normas de uso  FAQ  Sitemap  Buscar  Quem está online  EMPREGOS